quarta-feira, 17 de março de 2010

DESAMOR


Não são os teus olhos que os meus procuram
E a tua alma, a tua essência nua e crua
Não são os teus lábios que os meus procuram
São as palavras que gostaria de te ouvir dizer,
em cada beijo.
.
Não são as tuas mãos que as minhas procuram
É o carinho que imagino dares-me cada vez que me tocas
Não é o teu sexo que o meu procura
É o prazer de te ver ter prazer
.
És tu que procuro sempre que busco
Mas não tens sido o que procuro
Os teus lábios selam-se
quando queres dizer-me que gostas de mim
Utilizas as mãos para tapar os olhos
e clamas ao teu sexo para não pedir o meu
.
Diz-me porque tens medo de viver...
.

Photobucket

6 comentários:

Pérola disse...

Boa noite.
O mistério do amor nos confunde quando ñ encontramos respostas.
bela postagem.
beijos.

doce anjo disse...

Pedida em aspas, pq na realidade vc se encontrou com palavras encantadoras seja bem vinda sou mais um seguidor seu espero vc em breve meu holl seguidores bjux...

Muito lindo seu blog

Marquinhos

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Sil,

Você foi feliz nessa escolha... Amar é tão bom, só faz bem e, então, prá que temer, não?!

Beijos,
Ana Lúcia.

Silvia disse...

Verdade! Aí está o grande abismo entre o amor e o sexo. É necessário construir uma ponte de palavras!

Ana Lúcia Porto disse...

Sil,

Dessa vez, eu estou passando por aqui, tão somente para lhe dizer que eu ficaria muito feliz se você fosse comer uma fatia de bolo, comigo, em meu blog...

Estou lhe aguardando.

Beijos,
Ana Lúcia.

Eduardo Santos disse...

Olá amiga. Caindo em seu espaço graças a blog amigo. Achei interessante sua escolha das poesias, mas quero lembrar que quem gosta de poesia, também é poeta. O escrever é um acto meramente intuitivo, que por vezes nem é tão poético, quanto parece. Também não sou poeta, mas gosto de escrever e portanto estou à vontade para o dizer. Tudo de bom e parabéns pelo espaço. Espero voltar. Obrigado.