quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

FECHA OS OLHOS

Photobucket
fecha os olhos, chega-te a mim
quero segurar a tua cabeça nas minhas mãos
quero acariciar a tua face com os meus dedos
quero tocar-te com os meus lábios
vou beijar as tuas pálpebras, suavemente
vou descer, na ponta do nariz repousar
enquanto te sinto respirar
ansioso que eu desça ainda mais
depois,
na tua boca arfante, entreaberta
vou ficar
na tua língua vou morar
.
Helena Fonseca

Photobucket

Um comentário:

efeneto disse...

Hoje, não deveria ter acordado.
E começa a ser ridícula toda esta impossibilidade de opção.
Alguém nos perguntou se queríamos ter nascido?
A resposta agora também pouco interessa.
Mas hoje, eu deveria ter direito a dizer que não, não me apetece abrir os olhos e ver um qualquer pormenor magnífico, um qualquer momento raro.

Hoje nada me delicia e muito menos sacia.
Mas alguém me dá o direito de não ser eu por 24h?
De nascer para uma qualquer vontade maior longe deste corpo morto e fétido?

Devia poder dar-me esse direito, esse propósito.
Mas desde quando o que deve ser o é de facto?
Raras são as vezes e sempre pouco oportunas.


Então deixem-me dormir...E amanhã de manhã, ao primeiro raiar do sol, perguntem-me baixinho:

- " Então pequeno, sempre quer nascer hoje para o mundo? "

Quem sabe talvez assim, com jeitinho, se levante a força e se cerrem os punhos para a batalha constante da vida e para a guerra eterna que mora em nós.
Mas de certo nasceria novamente para lhe desejar um fim-de-semana com aquilo que mais deseja.

Até amanhã.

beijito