terça-feira, 3 de novembro de 2009

NÃO QUERO NEM VER



não quero nem ver a hora em que ele chegar
e perceber que os objetos de que mais gostava
estão amontoados no canto da sala
que os seus cedês preferidos
estão empilhados sem ordem
e seus livros adormecem
numa caixa de papelão sem cor
que os seus quadros tristes
estão encostados na parede
.
não quero nem ver quando ele perguntar
de suas camisetas desbotadas
que usava para ficar em casa
e se deitar na cama comigo
que meus lençóis estão com outro cheiro
o travesseiro tem outra forma
e na geladeira nova marca de cerveja
.
não quero nem ver
quando ele perguntar do nosso gato
e souber que está aninhado em outro colo
.
não quero nem ver quando ele descobrir
que os meus olhos brilham mais
e que minha boca tem um outro sorriso.
.
Adriana Godoy
Photobucket

7 comentários:

Adolfo Payés disse...

WOW que poema tan hermoso... leerte es contagiarse con la ternura que de tu blog nace..

Un beso


Un abrazo
Saludos fraternos.

Adriana Godoy disse...

Agradeço pela postagem de meu poema. É sinal de que gostou. Andei lendo seu blog e achei bem interessante. Bj.

TiO ZeH disse...

Seu blog ta gostoso de se ver...
Parabéns!
Ótima quarta, to seguindo seu blog.
Bj.

Sereia disse...

Boa noite pessoa linda!!!!
Muito obigado pela visita...
Seu blog cada vez mais encantador..
Parabésssssssssssssssssssssss

Sylvia disse...

Acho que nem abria a porta. Encontro em territorio neutro!

cristal de uma mulher disse...

Quanta sensibilidade encontro aqui e isto é uma caricia a meus olhos..voltarei..beijos

Evelyn Oliveira disse...

adorei de verdade!
quem ama cuida!


Espero que tenha um ótimo final de semana.

Bjos e até+