terça-feira, 30 de junho de 2009

BRUXA


Descobri-me bruxa menina,
Ao perceber-me mulher,
Ao desvendar os segredos todos,
O reconhecimento da fêmea.
Saber das curvas e sinuosidades do corpo,
Conhecer a memória ancestral.
.
Vi-me bruxa,
ao deixar aflorar essa parceira silenciosa,
Apontando o caminho da sensibilidade,
Dos sentidos aguçados.
.
Percebi-me capaz de vivenciar as experiências,
explorar o corpo suavemente,
sentir cada dobra de pele,
deixar a água percorrer os montes e vales,
entender o prazer,
tomar posse do próprio prazer.
.
Sou mulher, feita de voltas, montes, circunferências,
Sou doçura e transcendência,
O caminho da profundidade.
Não me pertencem retas ou lanças,
Aprisionamento fálico ou fóbico,rigidez,
frieza e solidão.
.
Sou a qu cuida,
A que cura e suporta,
A que restitui as curvas ao mundo.
Por isso sou bruxa.
.
Há que dançar e celebrar a colheita,
sentir o pulsar alegre que emana da terra,
cumprimentar as borboletas,
restabelecer a ligação com a Grande Mãe, a Natureza.
.
Sou brua sim,
parte de um maravilhoso sistema encantado,
sem medos ou angústias,
em compasso com todos os elementos.
.
Sou bruxa, porque me sei mulher.
.

Lilian Maial
Photobucket

2 comentários:

Branca disse...

Que lindo!! Poema encantador!!!rs

Parabéns pelo dom tão maravilhoso.

bjos

Health Care disse...

Thanks for this post
Your site is very good

You are always welcome to me.

CLICK HERE TO CONNECT WITH ME

many opportunity are waiting for you to make internet moneys

best regard @