sexta-feira, 2 de outubro de 2009

APELO

que ninguém me cuide se eu cair doente
deixem-me verter em febre os males que me afligem
em suor e sangue transbordar as amarguras
deixem-me pender exangüe sobre a cama fria
em tremores expulsar minhas loucuras
.
que ninguém me acuda se eu cair doente

não. apenas me deixem viver meus delírios
sozinha para que eu conheça as minhas dores
em paz para reviver os meus amores
nesse estranho jardim meu de pedra e sonho.
.
que ninguém me ajude se eu cair doente

deixem-me só com meu esgar medonho
deixem-me à sós com minha agonia
não quero o consolo de mãos sobre as minhas
não quero distrair-me tendo que esforçar-me
.
que ninguém me salve se eu cair doente

deixem-me em paz para que eu viva ou morra
deixem-me só, pois é minha a escolha
morte ou vida pedra ou sonho
(ou meu esgar medonho
ou meu sorriso livre)
ou quem sabe a paz que nunca tive.
.
Nalu Nogueira




Photobucket

2 comentários:

Sylvia disse...

E e talvez um bom processo de cura... Mas quando a doenca e demais sempre queremos um anjo do nosso lado!

Adolfo Payés disse...

Hermoso tu blog.. tus escritos. te sigo y me quedo con el enlace para poder visitarte con mas frecuencia..


Un abrazo
Saludos fraternos

Que disfrutes tu fin de semana...